Grande Reserva Mata Atlântica

Grande Reserva Mata Atlântica

GRMA

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

Clique e veja os mapas associados à Grande Reserva Mata Atlântica

DFA02649web- Mata nebular Foresta Atlântica ao fundo Parque E E Pico Paraná - Piraquara -

A maior área remanescente do bioma

O Observatório Ornitológico Nascentes do Iguaçu gera resultados em conservação que vão além de seus 13 hectares. A RPPN integra um conjunto de mais de 110 áreas oficialmente protegidas — tecnicamente conhecidas como Unidades de Conservação. Estas áreas estão inseridas em um território com mais de dois milhões de hectares de vegetação contínua, unidos a outros dois milhões de hectares de áreas marinhas. É a Grande Reserva Mata Atlântica, cujo perímetro compreende o sul do estado de São Paulo, a costa leste do estado do Paraná e o norte do estado de Santa Catarina, porção geográfica que forma o maior remanescente deste bioma tão valioso para o Planeta.

Neste ambiente, as áreas protegidas visam a consolidar resultados consistentes de conservação da biodiversidade, com o propósito de cada uma delas ter padrão elevado de gestão e servir como refúgios de fauna, flora e processos ecológicos. A partir desse mosaico, viabiliza-se a conexão ecológica, o trânsito de espécies animais e a dispersão de plantas. Não só a conservação do patrimônio natural, mas também do patrimônio histórico-cultural é objetivo da Grande Reserva. Nos 50 municípios do seu perímetro há a presença de comunidades tradicionais, de povos indígenas, quilombolas, caiçaras e agricultores familiares.

Soma-se a isso a proposição de desenvolvimento duradouro com base em atividades econômicas que aproveitem e, ao mesmo tempo, fortaleçam a manutenção das características ambientais e das tradições sociais. A ideia é: quanto mais sólidos forem tais atributos, mais essa região singular adquirirá capacidade para indução de investimentos e empreendimentos sustentáveis, com geração de trabalho e renda, bem como atração de pesquisadores e turistas.

Seguindo a Carta de Princípios da iniciativa, a contribuição do Observatório Ornitológico para a Grande Reserva Mata Atlântica traduz-se na conservação direta de sua área física, na redução das pressões no limite oeste da Grande Reserva (planalto) e, ainda, na função educativa que cumpre junto aos seus visitantes. O Observatório contribui também para a formação de corredores ecológicos, uma vez que está localizado a apenas 330 metros do limite oeste do Parque Estadual Serra da Baitaca, a 1.000 metros da Área de Proteção Ambiental Estadual do Iraí e a 580 metros da Área de Proteção Ambiental Estadual do Piraquara. Além disso, uma parte do perímetro do Observatório está inserida na área de Tombamento da Serra do Mar — um ato normativo firmado em 1986, que buscou reconhecer a região como patrimônio público.

A área do Observatório Ornitológico está  inserida no perímetro da Grande Reserva Mata Atlântica, gerando uma efetiva contribuição para a conservação do maior bloco remanescente do bioma (Fotografia: Zig Koch)